Cristianismo como seita (1-2)

Na semana passada eu escrevi sobre definições gerais de seitas e me propus a avaliar se o cristianismo (focando no protestantismo ou igrejas evangélicas) pode ser considerado uma seita. Hoje vou observar as duas primeiras características listadas lá. Se não leu o post da semana passada, não vai entender o de hoje.

1. O zelo pela Verdade

O grupo exibe zelo excessivo e comprometimento inquestionável ao seu líder (vivo ou morto) e considera seu sistema de crenças, ideologia e práticas como a Verdade, como lei.

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. – João 14:6

O chamado Novo Testamento já exibe o conceito de que o sistema de crenças baseado na Bíblia é a Verdade. A reforma protestante e os Cinco Solas reforçam este conceito, especialmente o Sola Scriptura:

somente a Escritura é a suprema autoridade em matéria de vida e doutrina – Instituto Mackenzie

A Bíblia contém a mente de Deus, a condição do homem, o caminho da salvação, a condenação dos pecadores, e a felicidade dos cristãos. Suas doutrinas são santas, seus preceitos são justos, suas histórias verdadeiras e suas decisões imutáveis. – Trecho da introdução das Bíblias distribuídas pelos Gideões Internacionais (grifo meu)

Para ilustrar como os cristãos consideram que o seu sistema de crenças está acima da lei, posso mencionar o recente caso de Kim Davis, a escrivã que nega-se a emitir certidões de casamento a homossexuais. Para ela, os princípios cristãos são uma lei de maior prioridade que a lei que rege seu emprego.

E quanto ao zelo excessivo? Bem, o caso de Kim Davis também ilustra um pouco disto. Ela não só aplica os seus princípios a si, tendo um casamento heterossexual, como está disposta a obrigar as pessoas do seu condado a fazer o mesmo — mesmo sem compartilhar sua crença. Também podemos ver esse mesmo zelo excessivo e comprometimento inquestionável ao líder nas palavras do pastor Silas Malafaia: “ninguém deve se meter com os ungidos de Deus” (sobre denunciar pastores desonestos). Claro que essa frase foi questionada por diversos outros líderes, mas o princípio está sempre presente: o líder deve ser seguido e protegido. Assim, a autoridade da divindade é transferida para o líder terreno. É mais ou menos o mesmo que acontece com o Papa no catolicismo romano, mas sem os mesmos atributos formais.

O zelo pela Verdade do cristianismo está presente no decorrer das escrituras:

Pelos teus mandamentos alcancei entendimento; por isso odeio todo falso caminho. Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho. – Salmos 119:104,105(grifo meu)

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. – Salmos 1:1,2 (grifo meu)

Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra. – 2 Timóteo 3:16,17(grifo meu)

Parece-me claro e duvido que um cristão duvidaria que o comprometimento com a autoridade e o zelo pela doutrina são essenciais. Acho que posso parar por aqui e dar um ponto para o cristianismo: 1/15.

2. A Verdade é inquestionável e duvidar é crime

Questionamentos, dúvidas, e dissenção são desencorajados ou até punidos.

Qual é a atitude correta de acordo com o cristianismo ortodoxo (isto é, tradicional, o contrário de herético) para se tratar dúvidas, dissidentes e apóstatas? Vejamos o que diz o livro sagrado:

… o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte. – Tiago 1:6

Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de fé é pecado. – Romanos 14:23

A Bíblia sempre trata a dúvida como sendo algo ruim. Saudável é acreditar no que o líder diz:

bem-aventurados os que não viram e creram. – João 20:29b

Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem. Porque por ela os antigos alcançaram testemunho. – Hebreus 11:1,2

Em mensagens de líderes cristãos também se nota que a dúvida não é sinal de um cristão “saudável”:

As dúvidas desaparecem quando nos concentramos em Cristo – Billy Graham

Também podemos incluir na avaliação de dúvidas e dissenções a definição mais comum do que é uma seita para os cristãos (grifo meu):

1ª. — Um grupo de indivíduos reunidos em torno de uma interpretação errônea da Bíblia, feita por uma ou mais pessoas -Dr. Walter Martin.

2a. — É uma perversão, uma distorção do Cristianismo bíblico e/ou a rejeição dos ensinos históricos da Igreja cristã — Josh McDoweell e Don Stewart.

3a. — Qualquer religião tida por heterodoxa ou mesmo espúria — J.K. Van Baalen.

Em linguagem coloquial, seita é qualquer grupo que pense diferente. Ter dúvidas, questionar a autoridade ou chegar a ser um dissidente torna o membro do grupo um herético; sair da igreja e ir a outra cuja interpretação da Bíblia seja diferente é o mesmo que se juntar a uma seita.

Quanto aos apóstatas, a posição não é mais branda:

Bem-aventurado o homem que põe no Senhor a sua confiança, e que não respeita os soberbos nem os que se desviam para a mentira. – Salmos 40:4

Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios – 1 Timóteo 4:1

Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. – Hebreus 3:12

Um apóstata, aquele que se afasta da crença, está iludido pela mentira, seduzido por demônios, é mau e infiel, e está longe “do Deus vivo”. Isso descreve o que o apóstata é, mas o que deve ser feito com ele?

Qualquer, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo – Marcos 3:29 (grifo meu)

Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis
(…)
Estando cheios de toda a iniqüidade, fornicação, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade;
Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães;
Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia;
Os quais, conhecendo o juízo de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.
Romanos 1:18-32 (grifo meu)

O trecho citado é tão grande e cheio de elogios que eu tive que resumir. Mas fica claro que, além de apóstatas serem os seres mais desprezíveis do universo, eles são dignos de morte — como diz o chamado Antigo Testamento:

Quando te incitar teu irmão, filho da tua mãe, ou teu filho, ou tua filha, ou a mulher do teu seio, ou teu amigo, que te é como a tua alma, dizendo-te em segredo: Vamos, e sirvamos a outros deuses que não conheceste (…); não consentirás com ele, nem o ouvirás; nem o teu olho o poupará, nem terás piedade dele, nem o esconderás; mas certamente o matarás; a tua mão será a primeira contra ele, para o matar; e depois a mão de todo o povo.
Deuteronômio 13:6-9 (grifo meu)

Felizmente, matar apóstatas é crime na maior parte do mundo civilizado, então o máximo que um cristão pode fazer é evitar contato. Apóstatas e dissidentes são simplesmente penalizados ou excomungados (expulsos da igreja):

Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão; mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada. E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano.
Mateus 18:15-17(grifo meu)

Uau! A análise acabou ficando cheia de textos bíblicos; adicionar a hermenêutica em cima deles ficaria muito longo para o leitor casual. De qualquer forma, estou seguro que o cristianismo merece mais um pontinho no quesito questionamento: 2/15.

Anúncios

Sobre Henrique

Casado e com dois filhos lindos como os pais. Meio doido, mas legal.
Esse post foi publicado em Religião, Seita cristã. Bookmark o link permanente.

Quer dizer algo sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s