Cristianismo como seita (9)

Continuo avaliando se o critianismo pode ser considerado uma seita com a oitava característica nesta série. Se você caiu de pára-quedas, vá para a introdução: Cristianismo e seitas

O número de hiatos cresce conforme o trabalho e outras atividades aumenta, mas esta é uma série que devo levar até o fim.

9. Faça o que eu digo, ou então…

A liderança induz sentimentos de vergonha e/ou culpa para influenciar e/ou controlar membros. Frequentemente, isto é feito através de pressão social e formas sutis de persuasão.

No cristianismo em geral e especialmente no meio evangélico, pressão social e pressão eclesiástica não são nem um pouco sutis. Tomemos um exemplo da Bíblia, para começar:

Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem. Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados. Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo. Portanto, meus irmãos, quando vos ajuntais para comer, esperai uns pelos outros. – 1 Coríntios 11:30-33 (grifo meu)

Aqui temos o auto-intitulado apóstolo Paulo dando instruções sobre a santa ceia. Logo nota-se que o maior incentivo para a obediência é doença e morte. Não que isso seja verdade: hoje em dia é ponto pacíficico que doenças são causadas por germes (vírus e bactérias); mas a forma escolhida para convencer o povo daquilo que se deseja é a pressão social e ameaças.

A pressão social está também sempre presente:

Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. – Tiago 5:14-16

Assim como neste trecho em Tiago, todas as soluções para os problemas da e na igreja está na comunidade. O pastor ou presbítero serve como médico, conselheiro, professor; os colegas de grupo são amigos, família, consolo, etc. O crente nada precisa de fora do grupo, e tudo que é preciso corrigir acontece dentro do grupo: confissão, oração e jejum resolvem todos os problemas. Problemas, aliás, causados por pecados. Nunca o cristão (bíblico) deve sair da comunidade para buscar ajuda física ou emocional.

O tempo pressiona, então deixarei o material de referência para a memória do leitor (ou sob demanda). O importante é destacar que este comportamento, como já mencionado em outros pontos desta série, não é só bíblico. Igrejas continuam advogando contra vacinação que previne o HPV, métodos contraceptivos, ciência em geral, dízimo… tudo que envolve a vida dos membros de uma igreja é acompanhado de ameaças e pressão social: você vai ficar doente, vai morrer, vai pro inferno, é porta aberta para o diabo, retaliação, faz perder a fé, qualquer coisa é motivo para pôr a culpa no comportamento e nas crenças heréticas do membro.

Ponto para o cristianismo: 7/9.

Anúncios

Sobre Henrique

Casado e com dois filhos lindos como os pais. Meio doido, mas legal.
Nota | Esse post foi publicado em Religião, Seita cristã. Bookmark o link permanente.

Quer dizer algo sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s