Ateísmo e comunismo

Muitos religiosos confundem esses dois termos, como se um precisasse do outro. Quantas vezes ouvimos alegações como “O ateísmo matou milhões na União Soviética de Stalin” e outras semelhantes? Os mais terríveis ditadores que já se viu (alega-se) eram ou são ateus, portanto o ateísmo os levou a fazer tantas barbáries, ou no mínimo eles não as fariam se não fossem ateus. Ou, como disse o nobre deputado Jair Bolsonaro, “a religião é um freio na nossa vida. Se você não teme a nada é porque você vai ser um elemento perigoso para a sociedade”.

Fica fácil então perceber como o ateísmo é mau e todos os ateus são comunistas.

Puxa, tem tanta coisa que precisa ser desembaraçada aí e eu quero fazer isso de uma forma que não vire um livro. Então quero dividir em três questões resumidas: o que é uma implicação, ateísmo como ideologia, e a associação de rótulos.

Implicação

Não confunda com implicância. É uma mera questão de causa e consequência. Falemos sobre animais: todo mamífero tem pulmões; baleias são mamíferos; logo, baleias têm pulmões. O fato de todo mamífero ter, por definição, pulmões, implica em baleias, por serem mamíferos, terem pulmões. É uma consequência necessária das nossas definições, uma implicação. Agora vejamos: todo peixe vive na água; baleias vivem na água; logo, baleias são peixes. Isto está incorreto. Baleias são mamíferos, não peixes. Esta não é uma implicação de viver na água. Então a forma correta de uma implicação é: A implica em B; C é A; logo, C implica em B. Na forma incorreta, temos: A implica em B; C é ou implica em B; logo, C é um A.

Agora vamos olhar para a proposta inicial: o comunismo é ateu; o comunismo é ruim; logo, ser ateu é ruim. Embora eu concorde que as duas primeiras definições estejam corretas, estamos com a forma incorreta de implicação. Não podemos afirmar, com base no comunismo, que ser ateu é ruim ou que ateísmo e comunismo estão relacionados, da mesma forma que não devemos concluir que baleias são peixes.

Ateísmo e ideologia

Devo começar afirmando categoricamente que ateísmo não é uma ideologia ou cosmovisão. Ateísmo é a falta de crença em qualquer divindade. Alguém pode não crer por nunca ter ouvido falar, ou por ter associado uma violência a religião, ou por ser cético, ou por ter sido ensinado a não acreditar em deuses. Qualquer que seja a origem, se a pessoa não acredita em divindades ela pode ser chamada de atéia. Ninguém é obrigado a acreditar ou fazer algo por ser ateu. Não há dogmas ou escolas de pensamento com base no ateísmo.

Quando olhamos para visões políticas, o que vemos é exatamente o contrário. Alguns dos maiores pensadores de direita, libertários ou anti-comunistas foram ateus: Murray N. Rothbard (A Ética da Liberdade), e o próprio Ludwig von Mises era bem anti-cristão. Da mesma forma que não foi o ateísmo que inspirou o comunismo, ele não serviu de inspiração para o libertarismo — embora ele seja necessário somente a este.

Rothbard escreve A Ética da Liberdade a partir do direito à propriedade, derivado da inescapável responsabilidade individual pelos próprios atos. Uma visão calvinista, a meu ver, responsabiliza não mais somente o indivíduo pelos seus próprios atos, portanto ele não tem a propriedade integral de si. Isto desmantela o libertarismo ético de Rothbard. Isto é só um exemplo de como não há qualquer exigência ideológica no ateísmo.

Associação de rótulos

Quando começaram a inverter a associação entre ateísmo e comunismo? Olhando para a História recente (os últimos 100 anos), vejo o Macartismo como um grande movimento de rotulação do ateísmo. Joseph McCarthy foi um senador americano que nos anos 50 associava tudo que era ruim ao comunismo, numa época em que o socialismo aterrorizava o ocidente (Hitler, Stalin e União Soviética, Cuba, apocalipse nuclear…). Como parte do partido republicano, uma das coisas que era considerada ruim para ele era o ateísmo. Foi fácil associar o ateísmo ao comunismo. “Fulano é ateu”  passou a ser o mesmo xingamento que “Fulano é comunista”, a forma de calar muitos políticos na época.

Hoje, da mesma forma, rotular alguém como ateu continua sendo uma forma de tentar ofender — como no episódio do Datena. Dizer que o ateísmo matou milhões através do seu  sistema comunista de governo ditatorial é somente uma expressão do medo do ateísmo, associando-o injustamente com a morte de milhões realmente causada por governos ditatoriais. Existem pessoas más, porém sua malignidade pode não ter a ver com algumas de suas crenças em particular.

Ser ateu não significa seguir qualquer ideologia. Céticos costumam rejeitar o comunismo, por ser baseado em dogmas que exigem fé cega. Associar ateísmo com a sua ideologia mais odiada é sinal de medo. No ateísmo não há dogmas ou regras, e como prova final de que ateísmo não implica em comunismo, este ateu que escreve não é comunista — longe disso.

Anúncios

Sobre Henrique

Casado e com dois filhos lindos como os pais. Meio doido, mas legal.
Esse post foi publicado em Política, Religião. Bookmark o link permanente.

Quer dizer algo sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s