O Abortoduto de Nando Moura

Estou cansado dos apelos emocionais a favor da criminalização do aborto. Foi-me recomendado ver um vídeo do Nando Moura (pessoa pela qual já não tenho respeito intelectual) sobre o assunto. E já que estou farto da falta de conteúdo racional desses argumentos já batidos, farei o seguinte: usarei todos os argumentos apresentados para defender a criminalização do adultério. Se os argumentos forem válidos para um caso, eles têm que ser para o outro. E se este for o caso, qualquer pessoa que defenda a criminalização do aborto deve também defender a do adultério.

Como sempre, antes de mais nada, a fonte:

O adultério é uma maldade

O adultério é uma maldade. Aquele que defende o adultério é, de verdade, ou muito ignorante, ou simplesmente extremamente maligno. Eles pretendem fazer esse adulterioduto através da Lei nº 11.106, de 28 de março de 2005.

Isto se chama “envenenar o poço”. Nando começa o vídeo dizendo que quem defende o aborto é maligno. Em primeiro lugar, a luta política é pelo direito ao aborto, e não pelo aborto em si. Assim como o adultério é maldade (imoral), quase ninguém advoga que o aborto é imoral para que figure como crime.

A lei tem como intenção algo além do que diz

A descriminalização do adultério não tem como intenção a mera restrição da correção do erro à esfera familiar. A intenção dela é acabar com a família brasileira, tornando corriqueiro um ato maligno que é feito sob risco de prisão.

O apelo de Nando é infundado. Se o executor da lei fizer aquilo para o que ela não é destinada, ele incorre em crime de desvio de finalidade.

Eu quero, eu faço

Funcionará assim: chega o carnaval e a mulher (casada) quer dar para todo mundo. Com a lei 11.106/2005, bastará ela chegar no juiz e dizer: “quero me divorciar” e está tudo certo. Ela poderá dar para quem quiser, livre das amarras do casamento, às custas do judiciário — do dinheiro público.

Existem duas formas de aborto: químico e clínico. O aborto químico pode ser feito em casa, à base de medicamentos que forçam a expulsão do conteúdo uterino (feto e adjacências). A regulamentação de uma prática de saúde pública é praxe. O problema não é a regulamentação em si, e sim o ato. Todo o papo a respeito de como o aborto é regulamentado no Uruguai é enrolação.

Dispensa-se evidências

A mulher (ou homem) que quiser praticar o adultério e por causa disso dissolver o casamento pode simplesmente dizer que o fim do casamento é por causa de adultério. Nenhuma prova é necessária. Afinal, não há pena para o adultério, então por que alguém até mesmo acusaria o outro? Basta dizer que há “diferenças irreconciliáveis” para abandonar o sagrado matrimônio e ficar livre para a libertinagem.

Nando cita regulamentação do Ministério da Saúde sobre a mulher não precisar apresentar evidência de abuso sexual para ser tratada como vítima do tal. Ora, o papel do atendimento médico é tratar da saúde, e não dar juízo de mérito às alegações da suposta vítima. Esse é papel do judiciário, onde evidências são essenciais.

Mentiroso Moura também não provê a fonte da alegação sobre o Ministério da Saúde, então vejamos os fatos: a portaria 485 de 2014 prevê que casos atendidos como de violência sexual devem ser informados às autoridades, portanto uma pessoa atendida como vítima de violência sexual sob falsa alegação incorre em crime. A unidade de atendimento é obrigada a coletar toda e qualquer evidência necessária à comprovação da alegada violência sexual, apoiando assim o trabalho do judiciário.

Hitler apoiava a prática do adultério

Hitler tinha uma amante, Hilda, portanto qualquer pessoa que defende o adultério é um Hitler.

Claro que a associação indevida tem que ser usada. Abortistas são comunistas. As pessoas que apóiam o aborto são as mesmas que criaram o Estado Islâmico. Nando Moura sendo irrelevante.

Possibilitar o adultério aumenta o número de adultérios

Defender que alguém ensine que as pessoas são livres para escolherem seus relacionamentos é um incentivo para o adultério.

Pôxa, Nando Moura não sabe sequer organizar seus fatos: educação sexual leva a menor número de casos de gravidez na adolescência. Também há vasta evidência de que a legalização do aborto não aumenta sua ocorrência. Nem consigo criar o argumento anti-adultério com essas mentiras.

Saco cheio desse Nando Moura, não consigo assistir a mais do que 10 minutos dessa balela. Talvez depois eu termine. O cara não entende ou nem conhece os argumentos a favor do aborto, e vem querer defender um boicote a uma lei que não tem a ver com isso. Quando alguém quiser conversar sobre o assunto e não só gritar suas idéias, estarei aqui.

Anúncios

Sobre Henrique

Casado e com dois filhos lindos como os pais. Meio doido, mas legal.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Quer dizer algo sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s