É possível ser cristão e vegano?

veganoO veganismo tem se destacado nos últimos tempos em que a sinalização de virtude é status social e moeda de poder. Muitos não se atentam a este fato, mas o veganismo é diferente do vegetarianismo porque este é mera preferência gastronômica enquanto aquele é posição moral. E existe outra posição moral muito comum: o cristianismo (que na verdade é uma filosofia quase completa, mas tratarei só do aspecto moral). Nas outras áreas em que há sobreposição com o cristianismo, sempre há conflitos; de cabeça, lembro-me de política e ciência. Será que é o mesmo com o veganismo?

Devo ressaltar que, embora discorde da validade autoritária tanto do veganismo quanto do cristianismo, no decorrer deste texto não tenho a intenção de questionar qualquer deles. Pelo contrário, por mais absurda que seja uma afirmação, contanto que se encaixe no propósito hoje — verificar se veganismo e cristianismo são compatíveis — e seja válida para quem adota a crença, ela será apresentada.

Por que veganos não comem carne?

Antes de qualquer coisa, recomendo fortemente que use a definição dos sites que propagam o veganismo. Eu resumirei aqui, mas nada melhor do que ter a versão completa de quem segue a prática (cristãos, é assim que se faz antes de falar do que o outro acredita #fikdik).

Como já mencionei, veganos são contra o consumo de produtos de origem animal por razões éticas (virtude moral). Eles enxergam o mundo como sendo algo que deve ser protegido da ação da raça humana, que não é superior nem diferente das outras espécies animais. Assim, o sofrimento de um bovino não justifica o gosto por sua carne de um hominídeo. O mesmo não se aplica aos outros reinos dos seres vivos: vegetais, fungos, algas e protozoários não têm direitos e seu sofrimento, se existir, é irrelevante. Normalmente esta questão nem é considerada.

A proteção contra humanos acontece em três frentes:

  1. Sofrimento animal: é inaceitável explorar ou matar um animal para que dele se obtenha alimento e subprodutos, do couro ao veneno.
  2. Desestabilização da biosfera: o consumo de carne contribui para o desmatamento, aquecimento global e trabalho escravo.
  3. Prejuízo à saúde: o consumo de carne aumenta o risco de desenvolver diversos males.

É nesses três aspectos que focaremos ao comparar com o desafiante…

Por que cristãos comem carne?

Como tudo na vida, cristãos fazem algo… porque Deus mandou ou autorizou. Ou algum pastor/padre/bispo interpretou que Deus mandou ou autorizou. Tudo começa com Adão e Eva…

E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento; e assim foi.
Gênesis 1:30

Note-se que o texto separa o domínio sobre os animais (v.28) do ato de comer os animais (v.30), então não tem como interpretar que Gênesis dá a entender que a humanidade foi criada vegetariana. E continua com Noé…

Tudo quanto se move, que é vivente, será para vosso mantimento; tudo vos tenho dado como a erva verde.
Gênesis 9:3

Novamente, Deus libera geral para comer carne. Devo fazer uma nota para os cristãos que são contra a carne mal passada (v.4): o líquido que sai dela não é sangue.

Não só Deus libera geral para comer todo tipo de carne, da cobra ao boi, do lagarto ao cachorro, mas o sofrimento animal também é usado na era pré-cristã para todo tipo de ritual, desde o sacrifício até o exílio (donde vem a expressão “bode expiatório”). E finalmente, o próprio cristianismo tem sua expressão máxima no sacrifício e sofrimento de um humano, Jesus, para o benefício de outras pessoas (e próprio, mas isso não vem ao caso).

Existem diferentes interpretações e apresentar os motivos seria tedioso demais, mas há um número considerável de cristãos que acreditam que Deus está no controle de todos os aspectos da vida na Terra (ou no Universo), e portanto nada que façamos pode mudar ou causar algum prejuízo não planejado (como mudança climática e aquecimento global). Então o mundo não é algo que precisa de proteção como se a raça humana fosse um vírus. Pelo contrário, Deus é soberano e os homens são mordomos.

E finalmente, Jesus mesmo disse que alimentos não causam prejuízo a saúde. É aquilo que você expressa que lhe faz mal:

Então chegaram ao pé de Jesus uns escribas e fariseus de Jerusalém, dizendo:
Por que transgridem os teus discípulos a tradição dos anciãos? pois não lavam as mãos quando comem pão.
(…) O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem.
Mateus 15:1-2,11

Ora, se o que contamina o homem é o que sai da boca, alimentos (ou até os germes que ingerimos com eles) não causam doenças. O mal é causado por demônios, por “abrir brecha”, por não fazer jejum, e por aí vai. E doença de crente deve ser tratada com oração. Não sou eu qem diz, é Jesus (e eventualmente seus apóstolos).

Vamos colocar o que sabemos até agora numa tabela para ver se cristianismo e veganismo são compatíveis:

Aspecto Veganismo Cristianismo
Sofrimento animal Inaceitável que humanos pratiquem Liberado e necessário; sacrifício humano também
Posse da Terra Não é de ninguém, e precisamos proteger a natureza dos humanos É de Deus, que comanda tudo; ninguém pode alterar o plano dele
Saúde Consumo de carne é prejudicial Consumo de qualquer coisa é irrelevante

Bom, acho que está claro: ou você é vegano, ou é cristão. Não dá para ser os dois. Ou, como Jesus diria: serves a mim ou ao brócolis?

Anúncios

Sobre Henrique

Casado e com dois filhos lindos como os pais. Meio doido, mas legal.
Esse post foi publicado em Religião, Sociedade. Bookmark o link permanente.

Quer dizer algo sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s